Quais os Benefícios que a Inclusão Traz?

( Save the Children, UK, páginas 18, 19, 20, 21, traduzido do inglês e digitado por Maria Amelia Vampré Xavier)


A educação inclusiva pode ajudar a quebrar o ciclo de pobreza e exclusão

Deficiência e pobreza estão estreitamente interligadas. É menos provável que crianças pobres recebam intervenção e apoio precocemente, e elas têm maior probabilidade de sofrer limitações duradouras. O reverso também é verdadeiro: as famílias que estão lutando com a deficiência têm maior probabilidade de se verem presas na pobreza em razão de uma gama de desafios que incluem atitudes negativas, problemas com mobilidade, capacidade de ganho, problemas relacionados ao cuidado com crianças, etc. As crianças e famílias que estejam lutando com a deficiência estão sistematicamente excluídas, e quanto mais pobres forem, maior a probabilidade da exclusão. A educação pode oferecer as habilidades práticas e conhecimento necessários para quebrar o ciclo da pobreza. Porém a educação inclusiva vai mais adiante ao dar a oportunidade a crianças e adultos deficientes de desafiarem o preconceito, tornarem-se visíveis, e conseguirem a confiança de falar por si mesmos e construir o próprio futuro dentro da corrente maior da sociedade.

A educação inclusiva possibilita que crianças deficientes permaneçam com suas famílias e comunidades

A colocação de crianças longe de seus lares e famílias para freqüentar escolas residenciais especiais é uma contradição de seus direitos a um lar, à família, e a seu envolvimento na comunidade. Embora possam existir, algumas vezes, benefícios educacionais de se freqüentar uma escola especial, a separação de crianças deficientes de suas famílias e comunidade freqüentemente confirma o preconceito da sociedade em relação a pessoas deficientes. Crianças deficientes são particularmente vulneráveis a abuso nas próprias instituições que são elaboradas para protegê-las. Lá elas ficam dependentes de um número maior de adultos, freqüentemente para formas íntimas de cuidado. Crianças deficientes que moram em instituições são particularmente vulneráveis a abandono, e a abuso físico e sexual. Aquelas crianças que são totalmente dependentes de cuidadores na vida diária estarão em maior risco – especialmente crianças deficientes pequenas e do sexo feminino. Quando ocorre o abuso, crianças isoladas em instituições não contam com ninguém para ajudá-las a se queixarem ou se defenderem (ver capítulo 4 de "Save the Children", para mais detalhes sobre a questão da dependência). Save the Children UK está comprometida em promover práticas inclusivas de base comunitária. A experiência anterior de apoiar escolas residenciais especiais reforçou a importância de capacitarmos as crianças a permanecerem com suas famílias sempre que possível. As tentativas de influenciar mudanças de dentro das instituições falharam todas elas. A política atual da Save the Children UK é, portanto, de apoiar alternativas ao cuidado institucional.

A educação inclusiva pode melhorar a qualidade da educação para todos

A educação inclusiva pode agir como um catalisador para mudanças em prática educacional, conduzindo a uma qualidade melhorada da educação. Incluir crianças deficientes em escolas da rede regular de ensino desafia os professores a desenvolverem abordagens mais centradas na criança, participativas, e de ensino ativo – e isto beneficia todas as crianças. Os professores(as) pensam, muitas vezes, que precisam ter "habilidades especiais" para ensinar crianças deficientes, porém, a experiência tem mostrado que na maioria dos casos as crianças conseguem ser incluídas mediante ensino bom, claro e acessível, que encoraje a participação ativa de crianças. Estas são todas habilidades de que os professores necessitam para oferecer educação de qualidade a todas as crianças, deficientes ou não. Além destas habilidades os professores podem também precisar de alguma ajuda técnica específica e/ou equipamento para enfrentar algumas limitações das crianças. A educação inclusiva tem sido introduzida em muitos países com orçamentos modestos de educação, e relativamente pouca ajuda técnica. As melhorias no ensino de qualidade e nas realizações dos alunos (bem como taxas reduzidas de abandono e de fracasso escolar) têm sido alguns dos resultados positivos.

A educação inclusiva pode ajudar a superar a discriminação

Atitudes discriminatórias em relação a pessoas deficientes persistem na sociedade em razão de falta de conscientização e informação e por pouca ou nenhuma experiência de vida próxima com pessoas deficientes. É difícil por abaixo estas barreiras causadas por atitudes, porém a experiência tem demonstrado que, dentro do contexto correto, as crianças podem aceitar as diferenças mais facilmente que os adultos. As crianças são os nossos futuros pais, professores, advogados e formuladores de política. Se elas freqüentarem a escola junto com crianças deficientes aprenderão a não fazer discriminações – esta é uma lição para a vida toda.
".....o programa beneficia todo mundo. Os não deficientes se beneficiam da interação: aprendem muita coisa com crianças deficientes como responsabilidade social. Estivemos fazendo a pergunta: " Como podemos atender necessidades individuais?" durante longo tempo, porém, foi somente quando este programa começou que compreendemos como fazê-lo... parar este programa seria como pedir a um pecador arrependido que voltasse a pecar! Educação é para todos! "

Encarregado da Educação, Lesoto

A educação inclusiva promove inclusão mais ampla

A educação inclusiva está de conformidade com a política global das deficiências de Save the Children UK, a qual reflete uma abordagem de duas vias à programação sobre deficiências:

1. Apoiando iniciativas com uma meta, que fortalecem a capacidade de crianças deficientes e suas famílias de declarar os seus direitos e enfrentar as próprias prioridades (i.e. apoio a organizações de pessoas deficientes, reabilitação de base comunitária, etc.).

2. Integrando uma perspectiva de deficiência em todas as áreas de trabalho de Save the Children UK, a fim de desafiar a discriminação e a exclusão, assegurando que os direitos e necessidades de crianças deficientes sejam levadas em conta em todos os programas.

A educação inclusiva responde a estas duas metas: promove atividades que ajudam crianças deficientes a desenvolverem seu potencial pleno, tornarem-se auto–confiantes e participarem de suas próprias comunidades. Paralelamente, ela desafia atitudes discriminatórias na comunidade, ajudando os pais a pensar positivamente acerca dos filhos deficientes e promovendo uma inclusão social mais ampla.


Educação inclusiva é uma estratégia que contribui para a meta final de se promover uma sociedade inclusiva.

Sue Stubbs, Consultora sobre Deficiências
Save the Children – UK 1991 - 2001